O Que Esperar dos Cubs no Draft 2018

“Teremos toda a paisagem disponível para nós. Nesse ínterim, temos que nos concentrar no scouting e no desenvolvimento” — Theo Epistein em 2014.

Essa frase de inicio parece bíblica não é? Para combinar, só faltou acrescentar ‘I Theo versículo…’ No entanto quem é conhecedor do trabalho que o Theo Epistein faz no Chicago Cubs, lembra da capacidade que ele conseguiu ao reconstruir o time que até então, se encontrava numa seca de títulos, que terminou — felizmente — em 2016. O time atual dos Cubs foi construído através do scouting, paciência e determinação ao longo dos anos (2011–2014) — óbvio com algumas exceções como a vinda de Addison Russel, Ben Zobrist, Jon Lester e etc — e logo em 2015 já mostrou grandes resultados, como a ida dos Cubs ao Wild Card Game daquele ano.

Os Cubs tem uma ótimo histórico com draft, quer prova maior que Kris Bryant em 2013, Kyle Schwarber em 2014 e Ian Happ em 2015 que foram todas escolhas de primeira rodada? Todos eles alcançaram o time principal com bastante rapidez. O último citado, Ian Happ, apesar das invenções de Joe Maddon, sempre aparece no lineup, e a cada oportunidade tem mostrado qualidade. Ah… e não esqueçamos de Almora Jr. que também foi uma escolha de primeira rodada no Draft de 2012 e hoje — tanto quanto Happ — é um jogador constante no lineup do time principal. Particularmente para o autor do texto ele é o “dono” do campo central do time.

Agora a pergunta que não quer calar: Quem os Cubs selecionarão no Draft de 2018?

Este ano, os Cubs terão a 24ª escolha geral no primeiro round. Ano passado os Cubs focaram em abastecer sua farm system com pitchers, por isso selecionou os arremessadores Brendon Little e Alex Lange na primeira rodada em 2017. Será que vão seguir a mesma ideia para o Draft desse ano? Bom segundo o que disse Patrick Mooney, do site Athletic, o front office irá focar em rebatedores. Em ritmo do MLB Draft ’18 que se inicia nessa segunda-feira (4), vamos dar uma olhada no que alguns dos mock draft mais proeminentes projetaram para quem os Cubs escolherão na primeira rodada:

The Athletic — Steele Walker, OF, Oklahoma: Walker teve de longe a melhor temporada de sua carreira como junior deste ano. Em 2018, ele rebateu .352 com uma porcentagem de .441 na base, um .606 slugging e registrou 13 home runs na temporada. Walker, como Bryant, Schwarber e Happ, poderia ter uma chance de ser acelerado, depois de passar três anos na faculdade.

MLB.com — Anthony Seigler, C, Cartersville High School — Jonathan Mayo, assim como o Patrick Mooney disse, também projetou que os Cubs selecionariam um rebatedor. Se assim o fizessem, seria uma aposta desde Javier Baez em 2011 e Albert Almora em 2012, que chegaram do high school, e conseguiram apesar de novos, subir rapidamente para as grandes ligas.

FanGraphs e Sporting News — Jackson Kowar, RHP, Flórida — Indo em contra mão as projeções anteriores, de acordo com as analises mais recentes da FanGraphs e Sporting News, os Cubs seguiriam a linha do ano passado e selecionariam o jovem Kowar que está com 9–4/ 3.21 ERA/92.2 IP/91 SO em 2018.

Bleacher Report — Trevor Larnach, OF, Oregon State — Bleacher Report também projeta os Cubs selecionando um rebatedor na primeira rodada, seria o jovem Larnach, outfielder da Oregon State University. Larnach é membro de uma das melhores equipes dos Estados Unidos no momento. Seus números são consideráveis, .324 /.447 /.637 com 17 HR, em comparação com apenas três no total em sua carreira antes de 2018.

Fica então a incógnita por qual direção o Front Office dos Cubs seguirá. Fortalecer a Farm System com rebatedores? Ou seguir a linha do ano passado, e selecionar arremessadores? Eu apostaria na primeira opção, levando em consideração que recentemente estamos presenciando talentos como Randy Rosário e Justin Hancock surgindo nas minors. O que é louvável, afinal pitchers são muito imprevisíveis. Ao contrário de rebatedores que saindo do college muitas vezes podem estar prontos para produzir nas grandes ligas dentro de um período muito curto de tempo.